Mobilização e luta marcam a 6ª Caminhada da Primavera, promovida pelo SEEB

Mobilização e luta marcam a 6ª Caminhada da Primavera, promovida pelo SEEB

Movidos pelo senso de unidade e cooperação mútua em prol de todas as classes trabalhadoras, profissionais de enfermagem baianos ligados a diferentes entidades se reuniram por uma só causa no último sábado 30, na Barra, em Salvador, na 6ª Caminhada da Primavera. Organizada pelo Sindicato dos Enfermeiros do Estado da Bahia, a manifestação contou com a presença expressiva de enfermeiros, enfermeiros auditores, profissionais da atenção básica e área hospitalar, além dos técnicos em enfermagem. Contou também com a presença de representantes do Sindicato dos Técnicos de Enfermagem da Bahia (SINDATE-BA), do Conselho Regional de Enfermagem da Bahia (Coren – BA), da Associação Brasileira de Enfermagem Seção Bahia (ABEN – BA) e Sindisaude da Rede Pública, representado pela diretora Ivanilda. Entre as principais pautas levantadas no evento, as reformas trabalhistas e previdenciárias, as sucessivas precarizações dos vínculos, os atrasos e as reduções salariais foram duramente criticados por todos os presentes que se pronunciaram durante a marcha, que destacaram ainda a posição da categoria na defesa ao cumprimento das atribuições legais da (o) Enfermeira (o) e de mais concursos públicos.

A importância das ruas 

Presidente da ABEN-BA, Tânia Neves Bulcão destaca a importância do enfrentamento nas ruas, relembrando uma das conquistas da classe que se deu no ano de 2007: “um claro exemplo da eficácia de um protesto conjunto foi o grande movimento que realizamos, a nível nacional, intitulado ‘Enfermagem na Luta’, que contou com a adesão do SEEB, Coren, Aben, estudantes e trabalhadores da atenção básica. Na ocasião, nós conseguimos derrubar a liminar que pretendia impedir que enfermeiros realizassem consultas, prescrever exames e medicações, procedimentos considerados legais dentro de programas específicos, previstos em protocolos do Ministério da Saúde. Essa vitória só foi possível graças à força da luta coletiva, porque é somente através da manifestação nas ruas que poderemos enfrentar muitos dos ataques que continuamos a sofrer”, analisa.

Ainda segundo Tânia, o alinhamento entre as diversas entidades que protegem os direitos da classe também se faz indispensável para a resistência às constantes ameaças: “O SEEB, o Coren e a ABEN – BA estão sempre unidos e essa articulação fortalece a nossa luta política, que essencialmente pertence a todos nós”, completa a diretora da associação na Bahia.

Atribuições legais do Enfermeiro Auditor

Para a enfermeira Yaskara Mellkia Feitosa, os mais recentes descumprimentos de normas legais de contratações que depreciam as qualificações específicas do enfermeiro auditor devem ser combatidos com protestos nas ruas. “Essa é apenas a primeira de muitas manifestações em que nós, Enfermeiras Auditoras, estaremos presentes representando o setor. Estamos vivenciando um momento em que muitas irregularidades estão acontecendo em detrimento de nossa resolução profissional e não podemos nos conformar, aceitando que sejam desvalorizados todo nosso empenho e dedicação acadêmica ao exercício de uma função específica, com atribuições exclusivas que cabem estritamente ao Enfermeiro”, protesta.

Força dos Auxiliares de Enfermagem

Para Rives André do Nascimento, presidente do Sindate-BA, somente através da união dos esforços de toda a classe os direitos da categoria serão de fato conquistados. “Eu acredito na mobilização que a cada ano se torna mais forte, força que muito se deve ao empenho do SEEB. Precisamos nos colocar contra a precarizacão do exercício das nossas funções”, ressalta.

Rives destaca ainda a luta em prol das 30h de Enfermagem. “O reajuste da carga horária é fundamental, por exemplo, porque isso promoverá um atendimento mais eficiente para a população carente, uma vez que a enfermagem precisa se desdobrar para fazer um atendimento de excelência”, apontou.

Alinhamento das instituições 

A presidente do COREN-BA, Maria Luísa de Castro Almeida, defende o fortalecimento das instituições representativas da Enfermagem, na medida em que cada profissional entende o papel de cada uma e de que forma elas trabalham para fazer valer os direitos da classe.

Ela enfatiza ainda a sincronia notável na atuação de cada entidade representativa da Enfermagem no estado da Bahia. “Embora tenhamos papeis diferenciados e saibamos como atuar dentro de nossas finalidades precípuas, nós conseguimos fazer uma convergência de ações e ideias que sempre potencializa o trabalho do outro, dentro de uma sintonia que serve como exemplo inclusive em âmbito nacional”, comenta.

A presidente do Conselho coloca ainda o comodismo como uma grave falha na luta contra as sucessivas retiradas de direitos. “Os profissionais precisam entender que não adianta se manifestar por uma causa pontual e simplesmente retornar à sua zona de conforto. É preciso manter uma luta contínua, perene e cotidiana, acompanhando suas instituições e apoiando a manutenção de sua estrutura de funcionamento”, ressalta Maria Luísa.

Filiação ao sindicato

Liderando a caminhada, a presidente do SEEB Lúcia Duque frisa a importância do comprometimento dos colegas com seus próprios interesses enquanto profissionais e trabalhadores, estes defendidos arduamente pelas entidades que os representam. “As injustiças e as investidas fruto dos contínuos golpes que têm sido impetrados atingem não somente a Enfermagem, mas todas as classes trabalhadora brasileira. A perda histórica que estamos sofrendo precisa ser freada imediatamente”, salienta.

Lúcia destaca ainda o trabalho que sobrecarrega os profissionais. “Nós estamos adoecendo cada vez mais. Os trabalhadores precisam fortalecer uma causa que é própria, precisam se sindicalizar para dar o respaldo necessário ao Sindicato que está lutando pelos direitos da classe. Os enfermeiros não conseguem perceber a força que possuem, precisamos sair de nossas caixinhas e ir para as ruas”, reforça.

Atividades físicas movimentam a caminhada

Antes de iniciar a marcha, os participantes fizeram um alongamento orientado por um profissional de Educação Física, ao som de muita música e no cenário de um dia ensolarado do Morro do Cristo, no bairro da Barra. Com destino ao Farol, o percurso contou com distribuição de água e algumas paradas para mais alongamentos. Utilizando camisetas feitas especialmente para a ocasião, os enfermeiros foram convidados ainda a participarem de uma animada aula de zumba ao ar livre com um grupo de dança. O encerramento da caminhada ofereceu ainda lanches saudáveis e o serviço de massoterapia num momento de descontração e relaxamento.

Não deixe de participar dos eventos e protestos realizados por suas instituições representativas. Fortaleça nossa luta, porque somente juntos somos mais fortes!

Agenda da Semana

27 de Maio a 01 de Abril

27/05

 (Segunda)

(14:00) Reunião com a Fesf Sus.

28/05

(Terça)

(10:00) Audiência Pública em Feira de Santana.

29/05

(Quarta)

(08:30) Audiência de conciliação com a FBC na Justiça do trabalho.
(09:30) Reunião com a Fesf Sus.
(10:15) Audiência na 2ª VT de Alagoinhas com IBDAH.
(14:00) Reunião com a CUT/BA.

30/05

(Quinta)

(30/05) – Feriado.

31/05

(Sexta)

Recesso.

01/06

(Sábado) 

Fórum Popular de Saúde de Feira de Santana.

Confira também!

Processo IBR Vitória da Conquista

SAÚDE NÃO É MERCADORIA! Trabalhadores da rede privada de saúde iniciam campanha para cobrar melhores condições de trabalho à Hapvida

Abrir WhatsApp
Precisa de ajuda?
Olá! Como podemos te ajudar?